CANADÁ – DIAS #6 e #7


Terça-Feira, 10 de Março de 2015.

Fiquei até emocionado quando vi meu nome na tela do computador da atendente do TD Canadian Trust, indicando que minha conta bancária canadense estava aberta!

Até que não foi difícil assim! Decidimos ir à tarde, após o almoço, na agência mais próxima do hotel.

Quem nos atendeu foi uma oriental muito simpática e paciente, que repetia tudo sempre que nós olhávamos para ela com cara de ponto de interrogação. Na maioria das vezes respondíamos OK. Em outras, eu e Anisia ficávamos nos olhando, e a menina repetia, como se estivesse falando para 2 crianças.

A impressão que dava, às vezes, é que se ela dissesse que todo mês eu ia repassar mil dólares para a conta dela, eu ia falar OK! Mas acho que deu tudo certo.

No fim, ficamos com 3 contas: uma conta corrente (chequing), uma poupança (saving) e uma para dólares americanos. Depois de assinar uns 5 papéis, explicar 3 vezes que não tenho nem vou ter o tal do SIN NUMBER (o CPF deles), cadastramos uma senha cada um (abrimos uma conta conjunta – joint account – para facilitar nossas vidas) e saímos da agência com a sensação de primeira vitória no Canadá!

O cartão de crédito ainda precisa ser pedido. Como não temos endereço definitivo, a atendente marcou da gente voltar na agência daqui a 2 semanas, num sábado de manhã (!!!) para fornecermos as informações faltantes (endereço final, telefone, etc).

Parece que o cartão de crédito funciona de maneira diferente que no Brasil, onde qualquer mané pode ter um cartão de mil, 2mil ou 5mil reais sem comprovar muita coisa. Se não puder pagar, vai se encalacrar por muito tempo, pagando os juros sobre juros. Aqui não! Se eu quiser um limite de 5mil dólares, tenho que deixar na conta o mesmo valor, congelado, como garantia do crédito. Foi o que entendi. O que não entendi direito foi que depois de 1 ano esse valor vai baixar (o dinheiro congelado na conta). Pelo que li por aí, vou começar a construir meu histórico de crédito…

Yes, já temos cartão de banco – claro que esse não é o nosso!

Depois dessa missão cumprida, mais duas paradas. Fomos visitar um anúncio de apartamento e aproveitamos para antes conhecer um pet grooming, um lugar de banho e tosa de pets, próximo ao prédio da visita.

Chegamos todos empolgados, já pensando em marcar um banho de Moustache para o dia seguinte (ele está imundo). Quando perguntamos sobre os serviços, o banho + tosa fica uns 75 dólares!!! E só o banho, por favor? Muito mais em conta: 50 doletas canadenses!!!! Como o pessoal dá banho nos bichos aqui? Deve ser uma vez em nunca, né? Só se o bicho mergulhar num tonel de lama!!! Moustache, no Brasil, tomava banho todo sábado. Para manter a rotina, ou começamos algum serviço extra ou partimos para o faça você mesmo! A segunda solução parece mais fácil! Vamos tentar dar banho nós mesmos! Não tem como pagar 50 dólares toda semana. Desculpa Moustache!

Bom, pelo menos a visita ao apartamento nos animou. Apenas 1 quarto, mas aconchegante, aceita cachorro mas um pouco longe do metrô. E o mais importante: disponibilidade imediata! Agora podíamos começar a pensar o que fazer. Fecha com o primeiro, mais próximo ao centro, com varanda e tudo mais, disponível em Abril ou com esse, menor (um pouco), mais afastado (um pouco) mas pronto para entrar e morar?

Dia seguinte, mesmo rotina das manhãs. Saída com Moustache e andanças a procura de apartamentos. À tarde, ida ao banco para a primeira transação. Depositamos meus primeiros dólares na conta canadense!! Depois, ida ao Shopping para tentar mais uma missão: comprar uma linha de celular.

No primeiro quiosque que paramos e perguntamos sobre planos, a menina primeiro ficou me olhando com cara de paisagem, depois me entregou um folheto com uns 7 planos. A Anisia fez uma pergunta crucial: Como faz para contratar um plano? Precisa de 2 documentos: um com foto (pode ser carteira de motorista ou, no nosso caso, o passaporte) e o maldito SIN NUMBER (o CPF deles) ou um cartão de crédito!!! Sem uma coisa nem outra, vimos que o celular vai ter que esperar. Numa loja da Samsung, o vendedor até desenhou para mim = documento com foto + SIN NUMBER ou Cartão de Crédito. Como sou teimoso (ou burro mesmo), no quiosque da Best Buy, o vendedor indiano veio com a mesma conversa. Por fim, acreditei que precisa mesmos destes documentos. Ele até falou que poderia tentar me vender um chip da Virgin Mobile sem eu ter o Cartão de Crédito, mas não garantia que fosse funcionar quando saísse do Shopping! Bom, não foi dessa vez que consegui comprar a linha de celular.

Poderia comprar um chip pré-pago, mas a idéia é ter um plano. Combinamos de esperar até ter o Cartão de Crédito e fazer uma coisa só!

Ainda deu tempo de passar na Target do Shopping e ver a loja quase em ruínas. Eles estão saindo do Canadá e querem vender tudo! Compramos uma mala (mais uma), bem mais barata. Quem sabe assim eliminamos umas 2 ou 3 sacolas que trouxemos? Vai facilitar na mudança quando sairmos do hotel.

Loja da Target saindo do Canadá – lojas estão liquidando!

A noite a discussão foi sobre qual apartamento fechar. Esperar até Abril, pagando 1o dias de hotel do nosso bolso ou fechar com o ap menor, mais longe do LRT mas já vazio? Olhando o site do hotel que estamos, a questão se resolveu. Não tem como extender nossa permanência no hotel pois eles não tem vagas nessa data.

Dia seguinte, então, vamos fechar! Acho!

Anúncios

Um comentário sobre “CANADÁ – DIAS #6 e #7

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s