Copa do Mundo 2014 – Dia 12


 

A entrada de Fernandinho mudou o jogo do Brasil

Começam a ser definidas as partidas das Oitavas de Final.

Nesta segunda-feira, houve as definições dos Grupos A e B.

Jogando em São Paulo, Holanda x Chile jogaram para decidir que seria o primeiro do grupo. O Chile bem que tentou, mas a supremacia holandesa ficou evidente a partir dos 30 minutos do segundo tempo. O holandês Fer, que tinha acabado de entrar, aproveitou um bom cruzamento (e a baixa zaga chilena) e abriu o placar em Itaquera. Ainda deu tempo, no finalzinho do jogo, da arma mortal holandesa. Cobrança de escanteio do Chile, que estava todo no ataque. Retomada da bola por parte da Holanda e lançamento para a correria de Robben. Aí é covardia! O Usain Bolt holandês deu um pique característico e, na entrada da área, apenas serviu Depay, que empurrou para o gol. Placar final: Holanda 2 x 0 Chile.

No outro jogo do grupo, Espanha x Austrália fizeram o jogo de despedida. Principalmente a Espanha, que jogou com um time muito diferente do habitual, sem Casillas, Xavi e Diego Costa. A despedida espanhola da Copa marcou também o adeus do avante David Villa, que fez sua última partida com a camisa da Espanha. E foi ele que abriu o placar, num toque de letra dentro da pequena área.

Com um bom toque de bola, comandados por Iniesta (que novamente jogou bem), Fernando Torrez e Juan Mata completaram o placar. A Espanha, atual campeão mundial, se despede do Brasil com apenas uma vitória. Cabe agora à nova geração mostrar se o país ainda pode ser considerado um grande no futebol.

Pelo Grupo A, jogando ás 17:00, Brasil x Camarões, em Brasília, fizeram novamente o país parar.

Precisando da vitória para ficar em primeiro no grupo, além de enfrentar um adversário já eliminado, coube ao time de Felipão pressionar os africanos logo no início de jogo. Aos camaroneses restou apenas intimidar Neymar e cia com faltas duras, muitas vezes não repreendidas pelo árbitro.

O gol não demorou a sair. Numa roubada de bola pela esquerda, Luis Gustavo mandou para a área e Neymar, sozinho, apenas desviou para as redes. O gol, estranhamente, fez o Brasil recuar, o que chamou Camarões ao ataque. Com um meio campo frouxo e inoperante, o Brasil começou a abusar das bolas longas, lançadas principalmente por David Luis.

Os camaroneses não precisaram se esforçar muito para chegarem ao gol. Depois de uma bola no travessão, os africanos aproveitaram a Avenida Daniel Alves e cruzaram na área brasileira. A zaga ficou olhando e o zagueiro Matip apenas empurrou para o gol. Sinal de alerta ligado!

Mas quando o jogo está difícil, é que o craque aparece. O lateral Marcelo recebeu uma bola mal cortada pela zaga e tocou rápido para Neymar. O camisa 10 avançou, cortou um camaronês e fuzilou o goleirão africano. O Brasil, mesmo sem merecer, foi para o intervalo vencendo por 2 x 1.

O que todo mundo queria, aconteceu no intervalo. Felipão trocou o inoperante Paulinho por Fernandinho. A mudança se mostrou acertada logo nos primeiro minutos do segundo tempo. Fazendo desarmes e aparecendo para o jogo, Fernandinho acertou o time. Serviu Hulk, que perdeu a bola na cara do gol; serviu David Luis, que cruzou para o gol de Fred (seu primeiro na Copa) e, quando o time já estava sem Neymar, apareceu no ataque numa troca de passes da linha de frente brasileira, marcando o quarto gol do Brasil.

Placar final de 4 x 1 e a dúvida para Felipão. Será que o gaúcho sacará Paulinho do time? Depois da atuação de Fernandinho, acho que nem o teimoso técnico terá argumentos para manter ex-corinthiano no time.

No outro jogo do grupo, em Recife, o México provou que o empate com o Brasil não foi obra do acaso. Jogando para se classificar, quem sabe até em primeiro do grupo, não deu chances para a Croácia e enfiou surpreendentes 3 x 1, gols de Rafa Marques, Guardado e Chicharito Hernandez. A gol da Croácia foi o primeiro sofrido pelos mexicanos na Copa.

Assim, foram definidas as primeiras partidas das Oitavas de Final. Brasil x Chile, sábado em Belo Horizonte e Holanda x México, domingo, em Fortaleza.

Hoje, a definição ocorre nos Grupos C e D. Primeiro o Grupo da Morte, onde Itália x Uruguai, em Natal, fazem o primeiro mata-mata da Copa. Quem vencer se classifica. O empate é italiano, pelo saldo de gols. No outro jogo, em Belo Horizonte, a Costa Rica apenas cumpre tabela contra a já eliminada Inglaterra. Se vencer, os costa-riquenhos terminam em primeiro no seu grupo. Quem diria?

No Grupo C, a já classificada Colômbia enfrenta o Japão em Cuiabá, com os japoneses ainda com chances. No outro jogo, em Fortaleza, Grécia x Costa do Marfim, também tentam a classificação, com vantagem para os africanos, que podem empatar, desde que o Japão não vença de goleada os colombianos.

Meu palpite das Oitavas: Colômbia (1C) x Uruguai (2D) e Costa Rica (1D) x Costa do Marfim (2C).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s